fotos no correio

Foto no correio

fotos no correio

colocando carta no correio

colocando carta no correio

Alunos do 3º ano no correio

Visita ao Correio

fotos na sala de aula

Fotos na sala de aula

Fotos na sala de aula
fotos

Turma do 3º Ano da Tia Aparecida

Turma do 3º Ano da Tia Aparecida

Foto dos meninos

Foto dos meninos
fotos

Fotos Na Rádio Liberdade FM

Fotos na sala de aula

Fotos na sala de aula
fotos

Fotos à Rádio

Fotos à Rádio
fotos

Fotos à Rádio

Fotos à Rádio
fotos

Fotos da visita à Rádio

Fotos da visita à Rádio
fotos

Fotos de visita à Rádio local

Fotos de visita à Rádio local
fotos

domingo, 1 de maio de 2011

Restante das fotos do auditório

quinta-feira, 28 de abril de 2011

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Trabalho realizado pelos alunosdo 4º ano - Os Ìndios.

Os Índios

Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o dia do Índio. Esta data comemorativa dói criada em 1943, pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto Lei nº 5.540.
Duas figuras importantes na organização das tribos são o pajé e o cacique. O pajé é o sacerdote da tribo, pois conhece todos os rituais e recebe as mensagens dos deuses. Ele também é o curandeiro, pois conhece todos os chás e ervas para curar doenças. Ele que faz o ritual da pajelança, onde evoca os deuses da floresta e dos ancestrais para ajudar na cura. O cacique, também importante na vida tribal, faz o papel de chefe, pois organiza e orienta os índios.
Eles se alimentam quase que exclusivamente dos alimentos caçados e retirados da natureza; como peixes, raízes, mandioca e muitos outros alimentos.




Oca é uma habitação típica dos povos indígenas.
As ocas são construídas coletivamente, ou seja, com a participação de vários integrantes da tribo. São grandes, podendo chegar até 40 metros de comprimento. Seu tamanho é justificado, pois várias famílias de índios habitam uma mesma oca. Internamente este tipo de habitação não possui divisões. São instaladas na parte interna da oca diversas redes, que os índios usam para dormir.
As estruturas das ocas são bastante resistentes, pois elas são construídas com a utilização de taquaras e troncos de árvores. A cobertura é feita de folhas de palmeiras ou palha. Uma oca pode durar mais de 20 anos.
As ocas não possuem janelas, porém, a ventilação ocorre através portas e dos frisos entre as taquaras da parede. Costumam apresentar de uma a três portas apenas.
Uma oca de tamanho grande pode levar de 10 a 15 dias para ser construída, com o trabalho de 20 a 30 índios.




Os índios possuem muitos hábitos comuns entre eles, porém pode variar muito de uma tribo para outra, os mais comuns e conhecidos como pintar o corpo, usar adornos feitos por suas próprias mãos como colares, pulseiras, tornozeleiras, exagerados cocares na cabeça, caçar, o casamento para as mulheres é entre os treze ou logo após sua primeira menstruação, eles dormem em redes, tomam banho de rio e de chuva, entre outros, estes costumes são sagrados para os índios que durante muitas gerações mantém os rituais, entre os costumes também cabe a eles fabricarem seus próprios instrumentos musicais para poder realizar certos rituais como o casamento ou a morte de algum integrante da tribo, os rituais que envolvem as músicas e danças tem forte ligação supersticiosa já que eles acreditam no perdão e na maldição e através da música buscam celebração, alegria ou soluções para crises, pessoas adoecidas, mulheres grávidas entre outros, uma de suas crenças o espelho e a figa, muito usados por eles, o líder é o Pajé responsável por manter os espíritos que protegem a aldeia sempre por perto, a tribo acredita que ele lida com forças sobrenaturais, podendo atrair bons ou maus espíritos.



As tribos indígenas possuíam uma relação baseada em regras sociais, políticas e religiosas. O contato entre as tribos acontecia em momentos de guerras, casamentos, cerimônias de enterro e também no momento de estabelecer alianças contra um inimigo comum.
Os índios faziam objetos utilizando as matérias-primas da natureza. Vale lembrar que índio respeita muito o meio ambiente, retirando dele somente o necessário para a sua sobrevivência. Desta madeira, construíam canoas, arcos e flechas e suas habitações (ocas). A palha era utilizada para fazer cestos, esteiras, redes e outros objetos. A cerâmica também era muito utilizada para fazer potes, panelas e utensílios domésticos em geral. Penas e peles de animais serviam para fazer roupas ou enfeites para as cerimônias das tribos. O urucum era muito usado para fazer pinturas no corpo.
Podemos dizer que a alimentação indígena é natural, pois eles consomem alimentos retirados diretamente da natureza. Desta forma, conseguem obter alimentos isentos de agrotóxicos ou de outros produtos químicos. A alimentação indígena é saudável e rica em vitaminas, sais minerais e outros nutrientes.
Como os índios não consumem produtos industrializados, ficam livres dos efeitos nocivos dos conservantes, corantes artificiais, realçadores de sabor e outros aditivos artificiais usados na indústria alimentícia.
Os principais alimentos que os índios se alimentam são: verduras, legumes, raízes, carne de animais caçados na floresta (capivara, porco-do-mato, macaco, etc.),peixes,cereais,castanhas
Os pratos típicos da culinária indígena: tapioca (espécie de pão fino feito com fécula de mandioca), pirão (caldo grosso feito de farinha de mandioca e caldo de peixe), pipoca, beiju (espécie de bolo de formato enrolado feito com massa de farinha de mandioca fina)
Desde a colonização do Brasil, o modo de vida e sobrevivência dos povos indígenas se modificou muito. A cultura do homem branco influenciou de forma drástica a vida dos povos locais. Apesar disso, ainda apresentamos traços da influência indígena na cultura brasileira.
Dos índios herdamos alimentos básicos da culinária, como a mandioca e o milho, e instrumentos musicais, como flautas e chocalhos.
O emprego de elementos vegetais e animais como fonte de cura natural para doenças são largamente utilizados hoje, e chega a se tornar alvo de pesquisadores estrangeiros e do contrabando biológico internacional.
A influência do artesanato indígena, com bolsas trançadas de fios e fibras, enfeites ornamentados com penas, sementes e escamas de peixes são notados não só em nosso país, mas em outras localidades da América.
A FUNA foi criada em 5 de dezembro de 1967 pela lei nº 5.371, durante o governo do presidente Costa e Silva.
Compete à FUNAI promover a educação básica aos índios, demarcar, assegurar e proteger as terras por eles tradicionalmente ocupadas, estimular o desenvolvimento de estudos e levantamentos sobre os grupos indígenas. A Fundação tem, ainda, a responsabilidade de defender as comunidades indígenas; de despertar o interesse da sociedade nacional pelos índios e suas causas; e de gerir o seu patrimônio e fiscalizar suas terras, impedindo ações predatórias de garimpeiros, posseiros, madeireiros e quaisquer outras que ocorram dentro de seus limites e que representem um risco à vida e à preservação desses povos.

Este trabalho foi realizado pelos alunos do 4º ano, fui pegando as melhores respostas de cada trabalho e elaborei o texto.

As imagens foram retiradas da internet.
Fotos de algumas crianças.




terça-feira, 26 de abril de 2011

Redações do 4º Ano - 2011

O APELO DA ÁGUA

Sou a água e quero deixar um recado para todos vocês do Planeta.
Cuide bem de mim para que no futuro vocês não se arrependam do que estão fazendo comigo.
Quando forem me usar, sejam responsáveis e colaboradores.
Não deixe torneiras abertas, quando estiverem escovando os dentes,na hora banho me economize o mais possível que puder.
Assim vocês estarão sendo conscientes e também não faltarei no futuro para ninguém.
Vamos lá, faça alguma coisa e tome uma atitude.
Thâmilly Santos Gomes Reis - Aluna do 4º Ano (tarde)




A ÁGUA PEDE SOCORRO!

Olá! Eu sou a água, estou aqui para discutir junto com vocês, por que sou tão importante.
Bom, eu sou um dos bens mais valiosos do Planeta. Sou eu quem sacia a sua sede, faço o suco que você bebe ficar mais gostoso, sou eu que apago o fogo e sou eu que lavo o seu carro e muito mais.
Então te peço que não me desperdice. Não deixe a torneira aberta, enquanto você escova seus dentes e também não deixe a mangueira aberta quando estiver esfregando sua calçada e...
Essas regras são tão fáceis, todo mundo esquece-se de economizar esse bem tão precioso do mundo, que sou eu: A ÁGUA.
Preste muita atenção, pois sem mim vocês não vão conseguir sobreviver.
Por isso eu te peço que não jogue lixo nos rios, preserve as nascentes e as florestas porque disso depende a minha perma-nência na Terra.
Estou pedindo socorro, pois se continuar assim, eu vou acabar e vocês não irão conseguir viver, porque vocês precisam de mim.
Vou embora, mas espero que vocês não me desperdicem.
Tchauzinho! Até um próximo encontro criançada!...

Ana Júlia Santos Ribeiro – Aluna do 4º Ano (tarde)



O toque da corneta

Numa belíssima manhã, Pedro estava planejando acordar o pobre gatinho Guru.
Ele estava dormindo e Pedro deu um belo susto nele. No começo Guru não se importou, porque estava um pouco calminho. Quando o garoto virou as costas... Guru ficou nem pensou duas vezes e pulou em cima de Pedro que levou um enorme susto e gritou:
_ Mamãe!!!! Mamãe!!!! Socorro!!!! Socorro!!!! O gatinho está me machucando.
_ Sandra correu para ajudar Pedro e disse:
_Quem mandou você acordar Guru. Bem feito, nunca mais mexa com quem está quieto.
Yasmim de Oliveira Sette.


As aventuras do coelho Lence

Olá eu sou Lence, vou contar para vocês a aventura que eu vivi há muito tempo atrás.
Tudo começou quando eu estava andando pelo parque, quando um cachorro começou a correr atrás de mim.
De repente ele parou e vocês sabem por quê?
Ele havia achado um osso e o seu dono o pegou. Eu continuei andando, andando. Acabei descobrindo, que o coelho era o símbolo da Páscoa. Chamei meus amigos e fomos à procura de um lugar que estava comemorando a Páscoa.
Eu, Barney e Nence tivemos que passar por rios enfrentar cachorros, caçadores e muito mais.
Quando chegamos, encontramos muitos ovos de chocolate, bombons, balas e vários tipos de doces, também tinha um bolo enorme.
Começamos a comer tudo que tinha e Barney disse:
_Anda, vamos logo está chegando alguém.
Meus amigos concordaram e tivemos que passar por tudo de novo.
Quando chegamos em casa Nence me disse:
_ Da próxima vez que você for fazer isso não me chame mais.
Valeu à pena, porque comemos muito e, além disso, saímos, passeamos e tivemos uma aventura legal.
Agora vamos dormir....
Wesley Filipe de P. Viana - 4º ano


A história de Sansão

Olá amiguinhos! Eu sou o coelho Sansão e vou contar uma aventura para vocês.
Certo dia eu estava passeando perto de minha toca quando uma capivara me gritou:
_Sansão! Sansão! Venha cá!
Fui logo correndo para saber o que era.
_Sansão, você vai ao forró hoje?
_Vou e vai ser muito legal.
Depois de bastante conversar fui para casa me arrumar. Vesti meu terno e fui para o forró da chegada da Páscoa.
Chegando lá, vi que havia vários animais, quando vi que Lita, a onça pintada não estava fiquei aliviado e fui dançar.
De repente, ouvimos um ruído faminto, era Lita. Todo mundo saiu correndo e no meio do caminho encontrei Tico, que era um tatu muito esperto cavar um buraco bem fundo para eu me esconder. Assim que ficou pronto me escondi dentro até amanhecer o dia.
Ao sair do buraco, vi que tudo estava destruído. Com medo da onça aparecer de novo corri para minha toca.
Chegando em casa fui tomar um delicioso café da manhã e depois fui entregar os ovos de Páscoa para toda bicharada.
Larissa Aparecida Quintão Braga – 4º Ano.



PÁSCOA, A RESSURREIÇÃO DE JESUS

Olá... Eu sou o coelhinho Sansão, vim contar para vocês uma história de amor, paz e sacrifício. Primeiramente coces sabem que Jesus se sacrificou para nos salvar?
Pois então, Páscoa não é ganhar ovos e ovos de chocolate. Páscoa é a gente agradecer a Deus por ter nos salvado.
Vamos começar a história.
Jesus, filho de Maria e José veio ao mundo para nos salvar.
Ele nasceu em uma manjedoura no meio de cavalos e bois, nasceu em uma família pobre e humilde.
Jesus era muito educado, desde pequeno, já entendia a sua missão.
Ele cresceu sofrendo muitas humilhações, mas aceitava com paciência. Quando adulto foi perseguido e morto por quem não acreditava que ele era o Salvador do mundo.
Mas ressuscitou, não para provar o seu poder mais para mostrar que a morte não é o fim, mas o começo de uma nova vida.
Páscoa é então o momento de refletirmos sobre nossa vida e acreditarmos que podemos ser melhor.
Feliz Páscoa para todos e espero que tenham entendido o verdadeiro sentido da Páscoa.

Ana Júlia Santos Ribeiro

segunda-feira, 25 de abril de 2011